Como produzir um bom texto!

A triste verdade é que não apenas seu aluno escreve mal… estamos acostumados a avaliar coesão e coerência, englobando dentro dessas categorias paragrafação, ortografia, uso de letra maiúscula, concordância e uma porção de outros itens que esperamos numa produção escrita.

No final, o resultado até melhora, mas não condiz com o que esperamos dos alunos. O pior de tudo é que o produto final de todo esse bombardeio de exigências em detalhes resulta em algo catastrófico: grande parte da população brasileira escreve mal ou não sabe se expressar por meio da escrita e isso é trágico, pois a escrita é um meio de registro importantíssimo.

Cada pessoa pode dar sua opinião pessoal sobre qual seria o problema real de tamanha dificuldade na escrita, mas eu tenho uma teoria própria, assim como tenho para muitos e muitos dos problemas da educação e minha teoria se baseia em algo interessante: observação e prática… pouco mais de vinte anos de prática.

Aceitar que um aluno não avança na produção de texto sempre foi algo que não cogitei. É claro que levei alguns anos para chegar em um consenso sobre qual seria o real problema. Cogitei a forma de ensino que temos, os livros didáticos, falta de apoio em casa, tipo de atividade que usamos e muitos outros motivos que poderiam ser a “faísca” que levava a tamanha dificuldade – pois sim, essa dificuldade de escrever realmente existe.

Como não desisto facilmente de algo e tenho grande vocação para área de pesquisa, ao final, consegui descobrir o real X da questão… ao menos para mim, em minha sala de aula.

A solução não era começar a avaliar coesão ou coerência, corrigir erros ortográficos, ver segmentação ou quaisquer das outras coisas que me diziam para fazer. A solução era ensinar a organizar o pensamento. Um aluno que sabe organizar seu pensamento, por consequência, sabe escrever, pois terá autonomia e criticidade suficientes para poder saber qual tipo de texto pretende, a quem está escrevendo, qual é seu objetivo e o mais importante: como poderá organizar seu texto de modo que a mensagem seja transmitida.

Há uma grande diferença entre pensar para si e expressar esse pensamento para os outros. Para expressar às outras pessoas, é preciso colocar-se no lugar do outro ( o que também é difícil ), imaginar o que o leitor irá pensar. Um grande passo é o aluno perceber isso, pois grande parte deles acha que está escrevendo para si mesmo.

Somos treinados a fazer exatamente o que não se deve. O modo como nos sugerem ensinar é totalmente em caminho contrário ao que deveríamos fazer. Claro que criei uma espécie de rota, com passos para que o aluno pudesse ter realmente uma estrutura e um objetivo de escrita, mas essa é uma outra história…

O mais importante a saber é que somos cobrados na faculdade a fazer uma coisa que nunca tivemos no Ensino Fundamental, em nossa base de educação: a estrutura de pensamento. A questão desta postagem é: como conseguir essa estrutura?

Fácil: mapa mental. O mapa mental é o que estrutura o nosso pensamento. É ele que nos faz organizar o que pensamos. A rota que mencionei se refere a ele, pois para fazer um mapa mental é preciso algumas atividades de sequenciação, categorização e outros processos que não fazem parte de nosso currículo, nosso treinamento ou mesmo de nossa vida escolar. Não posso deixar de pensar que talvez seja até intencional que não nos seja apresentado desde muito cedo…

Já usei o mapa mental com crianças a partir de 5 anos e os resultados sempre foram surpreendentes. A formação do aluno não é apenas na produção de escrita, se espalha por toda a forma como ele vê a educação.

O processo, como expliquei, é outra história. Meu objetivo com esta postagem é o mapa mental. Essa foi minha primeira preocupação ao escrever na internet para vários profissionais da educação e resultou em meu primeiro vídeo para You Tube.

Embora seja um pouco caseiro… para não dizer totalmente… o “Como produzir um bom texto” faz tanto sucesso, que é usado inclusive em faculdades, em cursos que não são relacionados à educação. A necessidade de produzir bons textos é tamanha, que ele se tornou um recurso básico como formação em várias instituições do país.

Me lisonjeia que seja usado em faculdades, inclusive por ser em cursos fora da educação também, porém acho que quanto mais for usado nas escolas, a partir do Ensino Fundamental… ou até antes… mais nossa missão de garantir autonomia, criticidade e uma boa expressividade será alcançada.

Tenho ainda materiais na loja que podem ajudar na produção de textos. Para não alongar mais a postagem, sugiro três links. Basta clicar neles para saber mais sobre os materiais. Após os links, o vídeo COMO PRODUZIR UM BOM TEXTO!

http://www.janainaspolidorio.com/aprendendo-a-produzir-textos-enfase-em-ambientes-e-personagens.html

http://www.janainaspolidorio.com/da-frase-ao-texto.html

http://www.janainaspolidorio.com/caderno-de-leitura-interativo-modulo-basico.html

Curioso sobre o vídeo? assista a seguir!

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s