Pais – também educadores

     Há muita divergência entre os professores sobre como gostariam de ser chamados pelos pais e pelos alunos. Muitos chamam de tia, prô, fessora, prof e de outros jeitinhos mais. Alguns professores não ligam muito e há aqueles que dizem não serem professores, mas sim educadores. O inverso também ocorre. Há os que dizem que ensinam, não dão educação, pois essa vem de casa.

     Particularmente, não gosto muito de ser chamada de tia, porém não digo nada, já que acredito na ideia de que cada criança tem sua própria vivência e deve me chamar do que se sente mais confortável. Considero-me tanto professora, quanto educadora. As crianças passam cinco horas diárias comigo, o que me leva a crer que faço também parte de sua educação. O modo como ela deve se comportar na escola depende do que eu vou ensinar a ela. Tenho observado que professores que costumam pegar muito alunos maiores atribuem a falta de educação aos pais. Acho isso errado, pois me leva a pensar o que ela faz para que a criança melhore?

     A parceria pais e professores é fundamental ao bom desenvolvimento e desempenho da criança na escola, bem como à educação. Somente os pais ou somente os professores não são capazes de fazer essa tarefa solitários, pois um complementa a tarefa do outro.

     Nesta categoria de meu blog, sempre haverá dicas e orientações, além de outras coisinhas mais para ajudar os pais nessa tarefa tão difícil, porém compensadora. Muitos posts se dirigirão especificamente aos pais de meus alunos, porém serão sempre dicas gerais, que servem também a todos os outros interessados nas informações.

2 Respostas para “Pais – também educadores

  1. Olá, estou precisando de materias, artigos que falem do tema: conversa com os pais: reuniões individuais, gerais e registros. para fazer um trabalho na faculdade, será que vc poderia me ajudar?
    abraços

    • Deisiane:
      Há muitas coisas para se falar quanto ao tema reuniões de pais. Já fiz todos os tipos de reunião que você possa imaginar. Apesar de eu preferir as individuais, não são em todas as turmas que elas dão certo. Quando faço reuniões individuais, agendo, por exemplo, cinco pais a cada meia hora. Deixo disponíveis todos os materiais que tenho que entregar. Enquanto converso com um dos pais, os outros podem apreciar, ler, anotar dúvidas quanto ao material que disponibilizei. Como os pais vão à reunião para saber dos filhos, eles também apreciam muito este tipo de reunião. Eles devem ser, entretanto, compreensivos quanto ao horário e nem sempre isso ocorre.
      Em reuniões gerais, tudo é muito superficial e, ao final, você acaba atendendo diversos pais individualmente, o que é algo muito ruim. Não costumo ler textos ou aplicar dinâmicas, porque há pais chegando a todo momento, o que atrapalha bastante. Há ainda aqueles que trazem crianças pequenas e nem prestam atenção na reunião e outros que entram e já perguntam se vai demorar. Considero reuniões gerais as mais difíceis, como você pode perceber.
      Não entendi muito bem o que você quer saber quanto ao registro, mas se você explicar melhor, posso pensar em algo. Se você precisar de um artigo mais elaborado, me avise que elaboro um artigo para postar.
      Espero ter ajudado,
      Bjs,
      Janaína Spolidorio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s